III Colóquio de Pesquisa e Design (De)futurando o design: Práticas, políticas e saberes.

Extensão do prazo de submissão

 A comissão organizadora do III Colóquio de Pesquisa e Design: (De)futurando o Design anuncia a extensão do prazo de submissão de trabalhos para o dia 04/10/2021 (próxima segunda-feira). Os procedimentos de submissão continuam os mesmos.


APRESENTAÇÃO

Na terceira edição do Colóquio de Pesquisa e Design, tomamos emprestado o termo defuturação, oferecido por Tony Fry (2020), para levar adiante nossa proposta de tensionamento do campo do design, iniciada na segunda edição, quando colocamos em foco a de(s)colonização da área. Neste ano, queremos fomentar o debate sobre os efeitos das formas de agir no e sobre o mundo, que são peculiares ao Design, no modo como nos situamos em relação a e combinada com os efeitos de outros arranjos de atores, espécies, saberes e mundos – aqueles que estiveram por muito tempo ausentes das pautas do Design. Agentes bióticos e abióticos, culturas não ocidentais e não humanos também fazem história e compõem a paisagem na qual o Design atua.

O “Design é sempre futuro”, afirma Susan Yelavich (2014, p. 12), ao argumentar que todos os atos de Design são, eles próprios, pequenos atos de criação do futuro. Concordamos com a autora, mas com ressalvas sobre para quais futuros apontam os modos de agir do Design hoje – se o processo de ” desenhar” ideias, fabricar modelos, esboçar planos ou prototipar soluções, tem sido pautado por moldar futuros viáveis. Como constata Tonkinwise (2014, p. 198), a avaliação do ciclo de vida dos impactos ecológicos nos ensinou que os designers podem ser a fonte de destruição generalizada em nome da criação de melhores comunicações, produtos e ambientes. O que nos faz pensar também se o designer, pelo viés de suas práticas, tem oferecido de fato subsídios para instanciar outros modos de viver, além desse que se configura na crise diante da qual nos encontramos – a intrusão de Gaia (STANGERS, 2009) ou o “Antropoceno” (STIEGLER, 2018) – como um futuro inevitável.

Segundo Fry (2020), a combinação do prefixo de-, e do substantivo futuro transformado em verbo, descreve a redução do futuro causada pelas ações humanas ancoradas em uma compreensão do futuro como algo imprevisível e não afetado pelas condições passadas e presentes. No livro A New Design Philosophy: An Introduction to Defuturing (2020), Fry afirma que o futuro não seria um espaço em branco a ser preenchido, mas o resultado da atividade humana, e que ele já estaria colonizado por aquilo que o passado e o presente lhe enviaram, ressaltando que “sem essa compreensão, sem uma compreensão do que é finito, quais limites reinam e quais direções já estão estabelecidas, temos pouco conhecimento do futuro, seja daqueles que precisamos destruir ou daqueles que precisamos criar” (FRY, 2020, p. 40, grifo nosso).

A propensão do Design para produzir o futuro compõe o seu legado moderno e implica mais do que a sua capacidade de gerar o que ainda não existe. Sobre tais implicações aprendemos com Flusser que a produção do futuro envolve remover obstáculos, sendo o objeto de uso um tipo de objeto de que se necessita e que se utiliza do afastamento de outros objetos do caminho. Mas de onde e para que esses objetos de uso foram lançados em nosso caminho? – pergunta Flusser. Em seguida, responde que eles foram projetados, desenhados no caminho por pessoas que nos precederam – “são projetos, designs de que necessito para progredir e que, ao mesmo tempo, obstruem meu progresso” (FLUSSER, 2010, p. 196, grifo nosso).

Esse cenário descrito por Flusser traz os aspectos mais visíveis de uma certa propensão do Design para defuturar, sobretudo se entendemos que remover obstáculos pode servir de justificativa para a pouca atenção dada à miríade de coisas acumuladas que resultam desse processo. Com isso queremos dizer que não existe uma ação de Design única que possa dar conta do futuro resolvendo as necessidades presentes ao passo que desconsidera potenciais e a emergência de necessidades futuras, como os princípios universais do Design moderno nos fez acreditar.

É nesse sentido que devemos defuturar o design, olhando de perto e por dentro de suas lógicas e pressupostos, buscando brechas para enredar histórias e paisagens múltiplas e dissonantes, que não fazem parte desse tempo que o fazer do design parece legitimar. Assim, compreende-se que não existe um futuro único, mas múltiplos futuros possíveis.

Uma vasta gama de projetos realizados é uma realidade e, como Flusser demonstrou, cada um deles pode obstruir e desobstruir “distintos modos de vida”, bem como oferecer vislumbres fragmentários, plurais e parciais do futuro – mas um futuro que pode ou não incluir o seu futuro, ou o meu futuro, ou o futuro de qualquer outra entidade humana ou não humana. Como diz Cameron Tonkinwise (2020, p. 204), “projetar futuros torna certos futuros materialmente possíveis e prováveis. Mas, ao fazer isso, pode defuturar, limitando o número de futuros que temos agora, e limitando a qualidade e a quantidade dos futuros desses futuros”.

De acordo com Tony Fry, Defuturing nomeia duas coisas: Em primeiro lugar, designa o caráter e a consequência histórica da natureza e do produto da prática projetual e, em segundo lugar, designa metodologicamente a forma como o Design pode ser interrogado.

Seguindo estes princípios, fazemos um convite à apresentação de trabalhos que discorrem sobre a possibilidade de rever criticamente certos scripts e modelos que regem as práticas de projeto e as ações do Design.  

EIXOS PROPOSTOS

[Eixo 01] Práticas e poéticas

Este eixo acolhe trabalhos que envolvam investigações teóricas, metodológicas e/ou práticas que ampliam as discussões relacionadas às aproximações entre as práticas das artes, da ciência e do design; que exploram questões relacionadas às convergências tecnológicas, nos diferentes níveis da realização do projeto, incluindo debates sobre a proposição de caminho para a atual crise ecológica, política e social a nível mundial.

[Eixo 02] Políticas e epistemologias do Design

Este eixo acolhe trabalhos que envolvam investigações teóricas, metodológicas e/ou práticas para ampliar as discussões relacionadas às singularidades e diferenças de ações vinculadas à responsabilidade socioambiental e à justiça social; que envolvam a disseminação da prática e do pensamento de design em contextos diversos, como mediação sócio-histórica; que explorem questões relacionadas aos movimentos sociais e mídias, diversidades, práticas localizadas e entidades não-humanas, incluindo digital, e os caminhos para o design.

[Eixo 03] Ensino e saberes

Este eixo acolhe trabalhos que envolvam investigações teóricas, metodológicas e/ou práticas que ampliem as discussões relacionadas à formação do designer no contexto escolar e não escolar; que envolvem diálogos com saberes de comunidades urbanas e/ou tradicionais em torno das questões ambientais, sociais e cotidianas; que tratam da formação e da prática docente, da transdisciplinaridade, da autonomia pedagógica, e da colonização de Subjetividades; que versam sobre método, experimentação e pedagogias freirianas.

Para leer la presentación del evento en español, acceda: https://bit.ly/llamada3cpd

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

STIEGLER, Bernard. La Technique et le Temps – 2. La Désorientation. Paris: Fayard, 2018.

FLUSSER, Villém. O mundo codificado. São Paulo. CossacNaify, 2010.

FRY, Tony. Defuturing – A New Design Philosophy. London, Bloomsbury Publishing, 2020.

YELAVICH, Susan. Design as future-making. London, Bloomsbury Publishing, 2014.

TONKINWISE, Cameron. Design away. In YELAVICHS, Susan. Design as future-making. London, Bloomsbury Publishing, 2014. p. 198.

STENGERS, Isabelle. Au temps des catastrophes: résister à la barbarie qui vient. Paris: Les Empêcheurs de penser en rond, 2009.

Submissões (Envíos)

Diretrizes de submissão (Directrices de envío)

Os resumos expandidos devem ter entre 1000 a 1500 palavras, excluindo referências. E devem ser enviados até o dia 27/09/2021 04/10/2021. Todas os trabalhos devem ser em português ou espanhol. Todos os trabalhos devem estar formatados seguindo o template oficial do evento. Considere acessar o edital do evento para maiores detalhes.

As submissões devem ser realizadas na plataforma easychair do Evento. Segue o link da página do evento e de tutorial de submissão na plataforma:

Página de submissão no easychair: https://bit.ly/cfp3cpd

Guia de submissão: https://bit.ly/guiasubmissao

Los resúmenes ampliados deben tener entre 1.000 y 1.500 palabras, sin incluir las referencias. Deben enviarse hasta el 27/09/2021, a las 23h59 (hora de Brasilia). Todos los trabajos deben estar en portugués o español. Todos los trabajos deben tener el formato del modelo oficial del evento. Considere acceder a la convocatoria del evento.

Las propuestas deben realizarse en la plataforma de easychair del Evento. A seguir el enlace a la página del evento y el tutorial de envío en la plataforma:

Sitio de envío en easychair: https://bit.ly/cfp3cpd

Guía de envío: https://bit.ly/guiasubmissao

Critérios de seleção de trabalhos (Criterios de selección de los trabajos)

Os trabalhos serão avaliados seguindo os seguintes critérios:

(I) Pertinência com as temáticas fixadas;
(II) Originalidade e relevância;
(III) Adequação metodológica e/ou técnica;

Los trabajos se evaluarán de acuerdo con los siguientes criterios:

(I) Pertinencia de los temas fijados;
(II) Originalidad y relevancia;
(III) Adecuación metodológica y/o técnica;

Modalidades de aceite (Modalidades de aceptación)

Nesta edição, o Colóquio de Pesquisa e Design terá duas modalidades de aceite dos resumos expandidos:

Trabalho aceito somente apresentação: Nesta modalidade, as (os) autoras (es) são convidadas (os) a apresentar seu trabalho nas salas de apresentação que ficará disponível para consulta nos canais do evento.

Trabalho aceito para apresentação e publicação: Esta modalidade, além da apresentação do trabalho nas salas de apresentação, as (os) autoras (es) são convidados a reenviar seus trabalhos posteriormente às apresentações, sob o formato de artigo completo, para publicação nos anais do evento.

En esta edición, el Coloquio de Investigación y Diseño tendrá dos modalidades de aceptación de resúmenes ampliados:

Trabajos aceptados sólo para presentación: En esta modalidad, las (os) autoras (es) son invitados a presentar sus trabajos en las salas de presentación, que estarán disponibles para su consulta en los canales del evento.

Trabajos aceptados para su presentación y publicación: En esta modalidad, además de la presentación de los trabajos en las salas de presentación, se invita a las (os) autoras (es) a reenviar sus trabajos después de las presentaciones, en formato de artículo completo, para su publicación en los anales del evento.

Datas importantes (Fechas importantes)

Abertura de chamada de trabalhos:  27/08/2021
Encerramento de chamada de trabalhos: 27/09/2021
Extensão de chamada de trabalhos: 04/10/2021 
Resultado da avaliação: 22/10/2021
Realização do evento (online): 3,4 e 5/11/2021

Apertura llamado a trabajos: 27/08/2021
Cierre llamado a trabalhos: 27/09/2021
Amplición de fecha de la convocatoria: 04/10/2021
Comunicación de resultados: 22/10/2021
Evento: 3,4 y 5/11/2021

Contato (Contacto)

E-mail: pesquisaedesign@daud.ufc.br

Instagram: bit.ly/instagramcoloquio